Políticas do CUS

david

david

30 Maio 2012 In Notícias 0 Comentário

Seis pesquisadores/as do grupo Cultura e Sexualidade (CUS) apresentarão seus trabalhos no IV Seminário de Pesquisa e Extensão do IHAC (Instituto de Humanidades, Artes e Ciências Professor Milton Santos), no dia 30 de maio de 2012, no Pavilhão de Aulas 3 (PAF3), no campus da UFBA em Ondina, Salvador.

Das 19h às 21h, na mesa "Sexualidades, políticas e subjetividades", serão apresentados, na sala 203, os trabalhos “A igualdade não faz o meu gênero – em defesa das políticas das diferenças para o respeito à diversidade sexual e de gênero no Brasil”, de Leandro Colling, professor do IHAC e coordenador do CUS, “Fazer-se travesti, fazer-se transexual: uma questão de driblar as contingências identitárias”, de Maycon Lopes, estudante de Ciências Sociais, e "Heterossexualidades: entre a pureza e a contaminação”, de Gilmaro Nogueira, mestrando do Programa Multidisciplinar de Pós-graduação em Cultura e Sexualidade (Poscultura).

À tarde, das 13h às 15h, o trabalho “A cultura do sofrimento: um estudo sobre as Mulheres que Amam Demais Anônimas (MADA)”, de Raquel Florence de Carvalho, mestranda do Poscultura, será apresentado na sala 109. Das 15h às 17h, na sala 205, é a vez do trabalho “Silêncio e naturalização na construção das masculinidades na educação básica”, de Josue Leite dos Santos, mestrando do Poscultura, e Djalma Thurler, professor do IHAC.

As inscrições para o IV Seminário, que é aberto a todos os interessados, devem ser realizadas no horário do evento nas salas onde acontecerão as mesas. Mais informações sobre o CUS podem ser obtidas em www.cult.ufba.br/cus

Compartilhe

Submit to DeliciousSubmit to DiggSubmit to FacebookSubmit to Google BookmarksSubmit to StumbleuponSubmit to TechnoratiSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn
28 Fevereiro 2012 In Notícias 2 comentários

O roteiro abaixo foi feito para quem deseja se aproximar dos estudos queer. Trata-se de um pequeno guia para iniciantes, com as referências dos textos e breves comentários. A ordem de leitura foi criada apenas para tentar facilitar a compreensão, mas isso não quer dizer que você precisa necessariamente seguir os passos à risca.

Apenas textos em língua portuguesa e espanhola foram selecionados, o que torna a lista muito limitada e incompleta porque a maioria da produção foi escrita em inglês.

Primeiras leituras: muitas pessoas dizem, e com razão, que vários textos sobre os estudos queer são difíceis de serem compreendidos. Por isso, os primeiros textos abaixo são bons para os iniciantes porque simplificam e contextualizam determinadas questões de forma bem didática.

Compartilhe

Submit to DeliciousSubmit to DiggSubmit to FacebookSubmit to Google BookmarksSubmit to StumbleuponSubmit to TechnoratiSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn
08 Fevereiro 2012 In Notícias 0 Comentário

Maria-Fatima Santos*

Leandro Colling organizou o livro “ Stonewall 40+ o que no Brasil?” como resultado do evento organizado pelo grupo de pesquisa em Cultura e Sexualidade (CUS). A combinação de artigos de vários autores com as transcrições das mesas redondas revela a complexidade de questões LGBT/queer e, ao mesmo tempo, consegue evitar o velho caminho da teoria que não se relaciona com a prática, ou, como dizem os brasileiros, consegue não “ viajar na maionese.”

“Nós vivemos em uma situação que parece que temos muita liberdade, mas quando menos se espera, cai uma cacetada em sua cabeça.” Edward MacRae, como outras vozes do livro, admite que muito mudou desde a internacionalmente significativa revolta, em Nova Iorque, contra o tratamento desigual da comunidade LGBT.

A revolta de Stonewall, 40 anos atrás, foi um momento significativo na luta pela diversidade sexual ao redor do mundo, mas este livro destaca como a experiência brasileira contribui ao debate global. Por exemplo, a parceria entre o Ministério da Saúde e a comunidade LGBT durante a epidemia HIV/AIDS serve como exemplo de possibilidades de diálogo com o estado, o qual não aconteceu na mesma maneira em países como os EUA e a Austrália.

Compartilhe

Submit to DeliciousSubmit to DiggSubmit to FacebookSubmit to Google BookmarksSubmit to StumbleuponSubmit to TechnoratiSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn
11 Janeiro 2012 In Notícias 0 Comentário

 

O II Curso de Introdução à Política e Teoria Queer recebeu 65 inscrições para as 30 vagas disponibilizadas. As candidaturas são de estudantes de graduação, pós-graduação e profissionais de várias áreas, integrantes do movimento LGBT ou pessoas sem vínculo institucional. O CUS levou em consideração os seguintes critérios na seleção:

- contemplar pessoas de diversas áreas, cidades, universidades, cursos, filiações institucionais e identidades;

- contemplar pessoas que poderão utilizar as reflexões do curso na academia e/ou fora dela;

- contemplar pessoas que não cursaram a primeira edição do curso, em 2011;

- contemplar pessoas que possuem nenhuma ou pequena aproximação com os estudos queer (quem já tem conhecimentos não foi selecionado porque o curso é para iniciantes).

Integrantes do CUS e/ou estudantes orientados por professores do grupo possuem vaga garantida e não constam na lista abaixo.

Lembramos que o curso será realizado, de forma presencial, de 23 a 27 de janeiro de 2012, das 18h30 às 22h, na sala 111 do PAF (Pavilhão de Aulas 3 - Glauber Rocha), no campus de Ondina, Salvador.

Como estamos em período de férias, provavelmente as cantinas do campus deverão estar fechadas nesse período. Portanto, não contem com espaços para a compra de lanches na UFBA.

Quem não puder participar do curso, favor avisar com o máximo de antecedência para procedermos as substituições.

Agradecemos o grande interesse pelo curso e esperamos que tenhamos condições de oferecer outras edições em breve. Por isso, acessem com periodicidade o site de nosso grupo (www.cult.ufba.br/cus)

A equipe organizadora

 

Compartilhe

Submit to DeliciousSubmit to DiggSubmit to FacebookSubmit to Google BookmarksSubmit to StumbleuponSubmit to TechnoratiSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Login