Políticas do CUS

Quinta, 10 Dezembro 2015 00:02

Periódicus lança chamada de textos para dossiê do seu quinto número

By 
Avalie este item
(0 votos)


 

A Periódicus, revista de estudos indisciplinares em gêneros e sexualidades, lança chamada para o dossiê e sessão livre do seu quinto número, que deve ser lançado em maio de 2016. Intitulado “Corpo, política, psicologia e psicanálise: a produção de saber nas construções transidentitárias”, o dossiê será organizado por Patricia Porchat, professora da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (campus Bauru), e Thamy Ayouch, professor da Universidade de Lille 3.(leia chamada abaixo).

Os textos deverão ser enviados exclusivamente para o e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. até dia 14 de fevereiro de 2016 dentro das normas disponíveis no site da revista (http://www.portalseer.ufba.br/index.php/revistaperiodicus). A sessão livre recebe submissões em fluxo contínuo.

O quarto número da revista, com dossiê Guerrilha de linguagem: re(ex)sistência cultural e subversão dos regimes de poder, organizado pelos professores Carlos Henrique Lucas Lima (UFOB) e Anselmo Peres Alós (UFSM), será lançado ainda em dezembro de 2015. O terceiro número, com dossiê sobre Judith Butler, foi lançado no II Seminário Internacional Desfazendo Gênero.

A revista Periódicus é uma publicação online semestral de divulgação científica do grupo de pesquisa CUS - Cultura e Sexualidade, criado em 2007 e vinculado à Universidade Federal da Bahia, ao Instituto de Humanidades, Artes e Ciências Professor Milton Santos, ao Programa Multidisciplinar de Pós-graduação em Cultura e Sociedade e ao Centro de Estudos Multidisciplinares em Cultura (CULT). O objetivo principal da revista é divulgar, traduzir e fomentar os estudos queer em diálogos com os estudos decoloniais e das subalternidades.

Proposta do dossiê:

O próximo número da revista Periódicus será dedicado à discussão dos impasses e das soluções possíveis no campo da saúde das pessoas trans. Politizar a conversa entre a psicologia e a psicanálise sobre as transidentidades visa a aproximar o mundo psi, o saber médico e o psiquiátrico da multiplicidade de experiências de pessoas que questionam a pertinência às categorias de sexo e de gênero tradicionais. As psicologias e a psicanálise, com raras execeções, reforçaram nos últimos anos o uso de diagnósticos que operam na chave da patologização. O direito à construção e modificação do corpo está no cerne desse debate. O diálogo com o saber médico e psiquiátrico chegou a um impasse, senão a um esgotamento. A psicanálise e a psicologia só vão caminhar se permitirem às pessoas trans serem sujeitos e produtores de um saber e não objetos de um discurso científico sobre si próprias. Para esse dossiê buscamos dar visibilidade a saberes locais, minoritários e deslocalizados das experiências transidentitárias, devolvendo às pessoas trans a posição de sujeitos da sua fala. Também buscamos praticantes de uma psicologia e de uma psicanálise que se definam como escuta da hipersingularidade e renunciem a ocupar uma posição de poder. Este questionamento das teorias oficiais da psicanálise sobre transidentidades pelos saberes subalternos trans é, a nosso ver, a única garantia de manutenção de uma perspectiva verdadeiramente crítica na psicánalise. Pretende-se alcançar a produção de um saber trans que possa inovar o campo psi.

Compartilhe

Submit to DeliciousSubmit to DiggSubmit to FacebookSubmit to Google BookmarksSubmit to StumbleuponSubmit to TechnoratiSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn
Ler 3430 vezes Última modificação em Quinta, 10 Dezembro 2015 00:21

Mídia

Compartilhe

Submit to DeliciousSubmit to DiggSubmit to FacebookSubmit to Google BookmarksSubmit to StumbleuponSubmit to TechnoratiSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Login