Políticas do CUS

Publicações

Publicações (9)

Segunda, 15 Setembro 2014 15:29

Dissertações e Teses

By

Dissertações de mestrado concluídas


Raquel Florence de Carvalho. De princesas a sapos escaldados: um estudo sobre as Mulheres que Amam Demais Anônimas (MADA). 2012. Dissertação (Mestrado em Cultura e Sociedade) - Universidade Federal da Bahia. Orientador: Leandro Colling.


Tess Chamusca Pirajá. Das calçadas à tela da TV: representação de travestis em séries da Rede Globo. 2011. Dissertação (Mestrado em Cultura e Sociedade) - Universidade Federal da Bahia. Orientador: Leandro Colling.


Cintia Guedes. Desejos desviantes e imagens cinematográficas. 2011. Dissertação (Mestrado em Cultura e Sociedade) - Universidade Federal da Bahia, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Leandro Colling.


Mônica Araujo Barbosa. Movimentos de resistência à monogamia compulsória: a luta por direitos sexuais e afetivos no século XXi. 2011. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento e gestão social) - Universidade Federal da Bahia, . Orientador: Leandro Colling.


Patrícia Conceição da Silva. A heteronormatividade ensinada. 2010. Dissertação (Mestrado em Cultura e Sociedade) - Universidade Federal da Bahia, . Orientador: Leandro Colling.


Gilmario Nogueira. Caças e pegações on-line: subversões e reiterações de gêneros e sexualidades. 2010. Dissertação (Mestrado em Cultura e Sociedade) - Universidade Federal da Bahia, Orientador: Leandro Colling.


Josué Leite dos Santos. Silêncio de naturalização na construção das masculinidades na educação básica. 2013. Dissertação (Mestrado em Cultura e Sociedade) - Universidade Federal da Bahia, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia. Orientador: Djalma Thürler.


Rafael Víctor de Jesus Aragão. Cartas De Príapo: A Construção Da Masculinidade Via Corpo Na Revista Playboy. 2012. Dissertação (Mestrado em Cultura e Sociedade) - Universidade Federal da Bahia, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia. Orientador: Djalma Thürler.


Roberto Carlos Santana Lima. Glee: Uma transmedia storytelling e a construção de identidades plurais. 2012. Dissertação (Mestrado em Cultura e Sociedade) - Universidade Federal da Bahia, Orientador: Djalma Thürler.


Adriano Barreto Cysneiros. Dzi Croquettes: da transgressão confinada à revolução dos corpos abjetos. Início: 2012. Dissertação (Mestrado em Cultura e Sociedade) - Universidade Federal da Bahia. (Orientador Djalma Thürler).

 

 

Teses de doutorado concluídas

 

Ana Karina Figueira Canguçú Campinho. A construção dialógica da identidade em pessoas intersexuais: o X e o Y da questão, Ano de obtenção: 2012. (Doutorado em Saúde Pública - Instituto de Saúde Coletiva) - Universidade Federal da Bahia. (Orientadora: Ana Cecília de Sousa Bastos / Coorientadora: Isabel Maria Sampaio Oliveira Lima)

 

 

 

Compartilhe

Submit to DeliciousSubmit to DiggSubmit to FacebookSubmit to Google BookmarksSubmit to StumbleuponSubmit to TechnoratiSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn
Domingo, 15 Agosto 2010 17:37

Artigos

Escrito por

 

ARAÚJO, João. O Boneco de Madeira e a Bicha Falante – Representação da homossexualidade masculina na telenovela brasileira Senhora do Destino. Texto apresentado no I Encontro Baiano de Estudos da Cultura (Ebecult), 11 e 12 de dezembro de 2008.

ARAÚJO, João. Até que nem tanto esotérico assim - Análise da homossexualidade em Suave Veneno.

ARRUDA, Murilo Souza. Que Moderno! Heterossexuais e homossexuais entre espaços sagrados e profanos na Bahia. Texto apresentado  no Fazendo Gênero 9, realizado em Florianópolis, de 23 a 26 de agosto de 2010.

BRAGA, Cíntia Guedes. Vale Tudo? A Representação do primeiro casal lésbico da telenovela brasileira. Texto apresentado no XII Congresso de Ciências da Comunicação na Região Nordeste: Universidade Federal de Campina Grande, PB, 2010.

CERQUEIRA, Caio. “Pelo amor de Rogéria!": observações sobre a representação homossexual na novela Beleza pura. Texto publicado nos Anais do Encontro da Associação Brasileira de Estudos da Homocultura. Natal - RN. 2010.

CERQUEIRA, Caio. Entre "Caras & Bocas" e muita fechação: abjeção em noites flex. Trabalho apresentado no II Seminário Enlaçando Sexualidades - Salvador - Bahia, setembro 2011.

COLLING, Leandro. "A naturalidade é uma pose tão difícil de se manter" – apontamentos para pensar Homofobia e Direitos no Brasil hoje. Texto apresentado na mesa redonda Homofobia e Direitos no Brasil hoje, realizada no V Congresso da Associação Brasileira de Estudos da Homocultura, no dia 26 de novembro de 2010, em Natal.

COLLING, Leandro.  A heteronormatividade e a abjeção - os corpos de personagens não-heterossexuais nas telenovelas da rede globo (1998 a 2008). Texto apresentado no VI ENECULT - Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura, 25 a 27 de maio de 2010, Faculdade de Comunicação/UFBa, Salvador-Bahia-Brasil.

COLLING, Leandro.  A heteronormatividade nas representações  de personagens não-heterossexuais  nas telenovelas da Rede Globo (1998 A 2008). Texto apresentado no II Ebecult (Encontro Baiano de Estudos da Cultura), 2009, Feira de Santana.

COLLING, Leandro. A igualdade não faz o meu gênero – em defesa das políticas das diferenças para o respeito à diversidade sexual e de gênero no Brasil. Texto apresentado no II Curso de Introdução à Política e Teoria Queer, realizado de 23 a 27 de janeiro 2012, na Universidade Federal da Bahia, Salvador.

COLLING, Leandro. O ativismo e o olhar queer de uma pantera rosa lusitana - Entrevista com Sérgio Vitorino. Periódicus, v. 1, p. 5-20, 2014.

COLLING, Leandro. O que a política Trans do Equador tem a nos ensinar? Texto apresentado  no Fazendo Gênero 9, realizado em Florianópolis, de 23 a 26 de agosto de 2010.

COLLING, Leandro.  Aquenda  a metodologia! uma proposta a partir da análise de avental todo sujo de ovo. Texto publicado na Revista Bagoas, volume 2, número 2, janeiro/junho de 2008, p. 153 a 170. 

COLLING, Leandro.  Personagens homossexuais nas telenovelas da rede globo: criminosos, afetados e heterossexualizados. Texto publicado na Revista Gênero, volume 8, número 1, segundo semestre de 2007 p. 207 a 222.

COLLING, Leandro, BARBOSA, Caio.  A representação da homossexualidade na telenovela Duas Caras.  Texto apresentado no IV Congresso da Abeh, realizado de 9 a 12 setembro de 2008, na Universidade de São Paulo, em São Paulo.

COLLING,Leandro, PIRAJÁ, Tess. Queridas, mas nem tanto: a representação da travestilidade em Queridos Amigos. Revista Famecos, Porto Alegre, v. 18, n. 2, p. 507-528, maio/agosto 2011. 

COLLING, Leandro, SANCHES , Júlio César.  Quebrando o complexo Gabriela! Uma análise da transexualidade na novela As filhas da mãe. Trabalho apresentado do I Ebecult, realizado dias 11 e 12 de dezembro de 2008, na Faculdade de Comunicação da UFBA, em Salvador.

HEIMER, Rosa. A dor e a delícia de ser como se quer: a representação social no documentário Bombadeira. Seminário Estudantil de Pesquisa da Universidade Federal da Bahia, XXIX, 2010, Salvador. Resumos.Salvador: EDUFBA, 2010.

HEIMER, Rosa. Representações e Discursos da Homossexualidade em Tititi. Texto publicado nos Anais do Encontro da Associação Brasileira de Estudos da Homocultura. Natal - RN. 2010.

LIMA, Marcelo. Mr. Nice Gay – Análise do personagem Adamastor na novela Pedra sobre pedra. Texto apresentado no V ENECULT - Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura, 27 a 29 de maio de 2009, Faculdade de Comunicação/UFBa, Salvador-Bahia-Brasil.

LIMA, Marcelo; LOPES, Maycon Silva. "Meu nome verdadeiro é Wanda": discutindo gênero e sexualidade em Sandman - Um Jogo de Você. Trabalho apresentado no GT Literatura, comunicação e mídia do I Seminário Enlaçando Sexualidades,Salvador, 2009.

LOPES, Maycon Silva. Notas para uma fenomenologia queer. 

LOPES, Maycon Silva. Sapatilhasacanhadas: a homossexualidade na telenovela Mulheres Apaixonadas.Texto apresentado  no I Ebecult.

LOPES, Maycon Silva. Sexualidade em telenovelas da Rede Globo: O caso Anjo Mau. Texto apresentado no VI ENECULT - Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura, 25 a 27 de maio de 2010, Faculdade de Comunicação/UFBa, Salvador-Bahia-Brasil.

LOPES, Maycon Silva. Breves apontamentos sobre a aids de cada um. Primeiros Estudos, São Paulo, n. 1, p. 27-43, 2011.

MAIA, Helder Thiago Cordeiro. ACORDA ALICE, ALUGA UM FILME PORNÔ – Uma leitura dos banheiros masculinos da UFBA. Texto apresentado no VI ENECULT - Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura, 25 a 27 de maio de 2010, Faculdade de Comunicação/UFBa, Salvador-Bahia-Brasil.

MAIA, Helder Thiago Cordeiro. Bob Bacall: a boneca-pretinha prisioneira da boate Sassaricando. Revista Litteris Multidisciplinar. Julho de 1010, Nº5.

MAIA, Helder Thiago Cordeiro. Ninete: a trava-madrinha de Tieta do Agreste. A representação da travesti Ninete na telenovela Tieta. EBECULT, 2009.

NASCIMENTO, Danilo. "Nós somos vanguarda meu amor": representação de um personagem não-heterossexual na telenovela Viver a vida. 

NOGUEIRA, G. Ânus rebeldes - Gênero normativos. Apresentado no VII ENECULT - Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura, Realizado em 03 a 05 de agosto de 1011, Salvador

NOGUEIRA, G. O sexo casual entre homens e a possibilidade de subversão das normas sociais. Apresentado no VI Congresso Internacional de Estudos sobre a Diversidade Sexual e de Gênero da ABEH, Realizado em 01 a 03 de agosto de 2012, Salvador

OLIVEIRA, Ronali Iris Santana. Mendonça em dois momentos; a personagem da telenovela Bebê a Bordo. Texto submetido ao VII ENECULT - Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura, 03 a 05 de agosto de 2011, Salvador-Bahia-Brasil.

SANCHES , Júlio César.Gay, bi ou hetero (normativo)? A homossexualidade masculina na novela A Favorita. Texto apresentado no V ENECULT - Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura, 27 a 29 de maio de 2009, Faculdade de Comunicação/UFBa, Salvador-Bahia-Brasil.

SANT'ANA , Tiago, MESQUITA,Gislene. O triunfo da sensibilidade: A representação da homossexualidade feminina em A Favorita. Texto apresentado no V ENECULT - Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura, 27 a 29 de maio de 2009, Faculdade de Comunicação/UFBa, Salvador-Bahia-Brasil.

SANT'ANA , Tiago . Pet sounds – As bichinhas na praia dos beach boys: a homossexualidade na telenovela três irmãs. Texto apresentado no VI ENECULT - Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura, 25 a 27 de maio de 2010, Faculdade de Comunicação/UFBa, Salvador-Bahia-Brasil.

SANTOS, Matheus. Queer Buba: intersexualidade em cena na telenovela Renascer. Trabalho apresentado no XII INTERCOM - Congresso de Ciências da Comunicação na Região Nordeste em Campina Grande/PB.

SANTOS, Matheus . Salvos pelo camp - uma análise da representação dos não-heterossexuais natelenovela Paraíso Tropical. Trabalho apresentado no V ENECULT – Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura.

SANTOS, Matheus; BARROS, Samuel; PASSOS, Jéssica; SILVA, Marta Cunha; GOMES, Itania M. M. A sexualidade em Amor & Sexo: representação, discurso e regime de verdade. texto publicado na Iniciacom - Revista Brasileira de Iniciação Científica em Comunicação Social, v. 2, 2010.

SANTOS, Matheus. XXY: A representação da intersexualidade no filme de Lucía Puenzo. Monografia apresentada à Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia em dezembro de 2010.

SILVA, Patrícia Conceição. A heteronormatividade ensinada "tin tim por tin tim": uma análise das revistas Atrevida e Capricho.  Dissertação de Mestrado apresentada ao Programa Multidisciplinar de Pós-Graduação em Cultura e Sociedade. Salvador, Bahia 2010.

SILVA, Patrícia Conceição, PIRAJÁ, TessChamusca. Nova: Uma revista velha. Caderno Espaço Feminino, v. 24, n. 2, p. 497-515, Jul/Dez 2011.

PIRAJÁ, Tess Chamusca. Misticismo caricato e sexualidade insinuada na telenovela Da Cor do Pecado. 

PIRAJÁ, Tess Chamusca. A ausência da categoria que incomoda: uma vivência trans representada na novela Explode Coração. 

PIRAJÁ, Tess Chamusca. Das calçadas à tela da TV: representações de travestis em séries da Rede Globo. Dissertação de Mestrado apresentada ao Programa Multidisciplinar de Pós-Graduação em Cultura e Sociedade. Salvador, Bahia 2011.

THÜRLER, Djalma. Amanda e Monick e a nova ordem sexual.Revista Contemporartes, 2010.

THÜRLER, Djalma. Amor meus, pondus meum; illo feror, quocumque feror.  Revista Contemporartes, 2010.

VIVAS, T. B. A Representação de Personagens Não-Heterossexuais nas Telenovelas da Década de 80 - Apresentação da pesquisa e de seus primeiros resultados.  Seminário Estudantil de Pesquisa da Universidade Federal da Bahia, XXIX, 2010, Salvador. Resumos. Salvador: EDUFBA, 2010.

Compartilhe

Submit to DeliciousSubmit to DiggSubmit to FacebookSubmit to Google BookmarksSubmit to StumbleuponSubmit to TechnoratiSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Leia o texto apresentado pelo professor Leandro Colling, coordenador no CUS, na mesa redonda com Luiz Mott (GGB) e Miriam Grossi (UFSC), no V Congresso da Abeh, no dia 26 de novembro em Natal - RN. Download

Compartilhe

Submit to DeliciousSubmit to DiggSubmit to FacebookSubmit to Google BookmarksSubmit to StumbleuponSubmit to TechnoratiSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn
Terça, 30 Novembro 2010 01:25

Somos tod@s transexuais?

Escrito por


No decorrer dos séculos, a sexualidade humana passou por diferentes processos construtivos. Michel Foucault, em sua História da sexualidade, demonstra o papel dos discursos e das instituições para aprisionar as vivências sexuais, controlando assim a vida pública e privadas dos atores sociais. O século XIX é o ponto alto dessas transformações, nele, categorias sexuais são construídas e conceitualizadas no seio do Estado, da religião, das escolas, universidades e hospitais. As práticas e condutas sexuais “livres” passaram a ser divididas em micropolíticas de normalidade e anormalidade, surge assim as palavras heterossexual e homossexual.

O heterossexual é aquele que está incluso no modelo de consenso social, macho e fêmea reprodutores, dotados de privilégios sociais. Já os homossexuais são aqueles que desviam da norma reprodutiva da sexualidade, são sujeitos que não respondem as normas do imperativo sexual, suas condutas são compreendidas como anormais, doentias e desviantes. No campo do discurso, nossos corpos só existem quando “nomeados”, e essa nomeação demarca simbolicamente quem é homem, quem é mulher, já nascemos fadados a sermos homens e mulheres! . Somos enquadrados em modelos pré-fabricados no binômio masculino e feminino, e aqueles que não se encaixam no espaço inteligível da heterossexualidade passam por diversas formas de punição e correção.

Compartilhe

Submit to DeliciousSubmit to DiggSubmit to FacebookSubmit to Google BookmarksSubmit to StumbleuponSubmit to TechnoratiSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Por Maycon Lopes

 

“Eu, bandoleiro

Eu, o proscrito
Eu, o fora da lei
E o que fazer
Eu quero, eu quero, eu quero”

Sueli Costa

.

.É sabido que nos últimos dias foram divulgados os números do Censo 2010 – o mais profundo levantamento de dados demográficos do Brasil – que, pela primeira vez, vale dizer, em sua décima segunda edição, levou em consideração a união entre pessoas do mesmo sexo. Logo de pronto somos confrontados com uma questão, para mim primordial: o que nós, LGBT, desejamos fazer com estes números fresquinhos?

Não tardou muito e a resposta apareceu na declaração de uma das figuras mais autorizadas no Brasil a falar da (e pela!) comunidade LGBT, nomeadamente o fundador do Grupo Gay da Bahia (GGB), Luiz Mott. Ele defende que “os dados destroem o estereótipo do gay promíscuo”, ao passo em que “mostra uma realidade muito semelhante à união entre os heterossexuais”. Ora, o que fez o antrópologo senão uma interpretação fortemente embasada em parâmetros morais? Ao positivar a experiência da união conjugal e rechaçar a imagem (aquela que deve ser destruída) do gay promíscuo, acabou por “dar um tiro no pé”, e, a partir da enunciação da promiscuidade, sustentou o discurso de uma sociedade que determina minuciosamente os modos pelos quais devem ser geridos os nossos corpos e desejos, sendo a instituição do casamento apenas um – e não menos importante – exemplo.

Compartilhe

Submit to DeliciousSubmit to DiggSubmit to FacebookSubmit to Google BookmarksSubmit to StumbleuponSubmit to TechnoratiSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Os interessados em estudar as relações entre culturas, gêneros e sexualidades a partir da teoria queer terão uma boa oportunidade de fazer isso em nível de pós-graduação. Os professores Leandro Colling e Djalma Thürler, integrantes do grupo de pesquisa em Cultura e Sexualidade (CUS), ministrarão uma disciplina com esse enfoque no Programa Multidisciplinar de Pós-graduação em Cultura e Sociedade (Pós-cultura), ligado à Faculdade de Comunicação e ao Instituto de Humanidades, Artes e Ciências Professor Milton Santos (IHAC) da UFBA.

 

Compartilhe

Submit to DeliciousSubmit to DiggSubmit to FacebookSubmit to Google BookmarksSubmit to StumbleuponSubmit to TechnoratiSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

A Associação Brasileira de Estudos da Homocultura (ABEH), presidida pelo professor Leandro Colling, coordenador do CUS, promove, no próximo 17 de maio, Dia Mundial de Combate à Homofobia, uma palestra com a professora Berenice Bento seguida do lançamento do livro Retratos do Brasil Homossexual – fronteiras, subjetividades e desejos, no auditório do Pavilhão de Aulas Glauber Rocha (PAF3), no campus de Ondina, da Universidade Federal da Bahia. O evento ocorre às 17h30min.

Berenice, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), irá tratar sobre a despatologização das identidades transexuais e de como essa luta tem relação direta com a luta pelo fim da homofobia. Berenice é coordenadora do Núcleo de Estudos Interdisciplinares em Diversidade Sexual, Gêneros e Direitos Humanos da UFRN, autora dos livros A (re)invenção do corpo: sexualidade e gênero na experiência transexualO que é transexualidade. O tema da palestra éHomofobia e saber/poder médico:  resistência globalizada pela despatologização da transexualidade.

Compartilhe

Submit to DeliciousSubmit to DiggSubmit to FacebookSubmit to Google BookmarksSubmit to StumbleuponSubmit to TechnoratiSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn
Terça, 25 Janeiro 2011 12:08

Curso: Teoria e política queer

Escrito por

5º dia: 28/01/2011

Apresentação -  Tess Chamusca - Baixar

3º dia: 26/01/2011

Apresentação -  Matheus Santos - Baixar

2º dia: 25/01/2011

Apresentação -  Patrícia Conceição - Baixar
 
Apresentação - Tess Chamusca - Baixar
Apresentação -  Leandro Colling -  Baixar

1º Dia: 24/01/2011

Apresentação -  Leandro Colling - Baixar

Compartilhe

Submit to DeliciousSubmit to DiggSubmit to FacebookSubmit to Google BookmarksSubmit to StumbleuponSubmit to TechnoratiSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn


Nenhuma luta haverá jamais de me embrutecer, nenhum cotidiano será tão pesado a ponto de me esmagar, nenhuma carga me fará baixar a cabeça. Quero ser diferente. Eu sou. E se não for, me farei.

Caio Fernando Abreu, in Limite branco.

 

O iniciar de um novo ano sempre vem acompanhado de avaliações e projeções sobre o que está por vir. Este texto tem o objetivo de sistematizar breves impressões e tecer considerações “provisórias” sobre o cenário concernente a II Conferência Nacional de Políticas Públicas e Direitos Humanos LGBT, realizada em dezembro do último ano, cujas proposições aprovadas devem balizar as ações desenvolvidas durante o ano de 2012 e os próximos (até a realização da terceira edição desta mesma conferência).

As conferências têm explícito objetivo de controle social, aonde sociedade civil e poder público estabelecem diálogo avaliativo no que tange a execução de políticas públicas que foram previstas de serem desenvolvidas. O I Plano Nacional de Promoção da Cidadania e Direitos Humanos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais, neste caso, seria o foco central deste momento de “conferir”. Considerando resultados de estudos[1] recentes no campo das políticas públicas LGBT, ressalta-se que a existência de planos e programas traduz o ineditismo desta política, porém a execução de forma efetiva destes está aquém da eficácia. O que pode ser visto na II Conferência LGBT, desde seu texto-base até as exposições dos ministérios nos painéis, fora a visível lacuna entre “o pensado, o dito e o feito”, ou seja, o vácuo entre as ações previstas no plano, o que o texto-base e as falas (dos representantes ministeriais nos painéis) disseram ter realizado e o que realmente foi desenvolvido (percebido de maneira latente nas intervenções dos/as participantes da conferência nos painéis e grupos de trabalho). Nota-se que há nisto uma correlação de forças que envolvem disputas partidárias, onde as políticas públicas também se relacionam com a trajetória pouco linear de demanda – concessão – conquista – outorgamento das mesmas.

 

Compartilhe

Submit to DeliciousSubmit to DiggSubmit to FacebookSubmit to Google BookmarksSubmit to StumbleuponSubmit to TechnoratiSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Login