Quem Somos

O CUS, grupo de pesquisa Cultura e Sexualidade, foi criado em 2007, na Faculdade de Comunicação, da Universidade de Federal da Bahia, por uma turma de estudantes de graduação em Comunicação, Letras e Ciências Sociais, junto ao Centro de Estudos Multidisciplinares em Cultura (CULT), liderados pelo professor Leandro Colling.

O objetivo era, e ainda é, produzir pesquisas e atividades de extensão a partir e com os estudos queer. Pouco tempo depois, passaram a integrar o grupo também mestrxs e doutorxs de outras universidades, bem como mestrandxs e doutorandxs do Programa Multidisciplinar de Pós-graduação em Cultura e Sociedade, que passaram a compor a maioria do grupo. Em 2017, o grupo contava com cerca de 25 pessoas.

O Programa Multidisciplinar de Pós-graduação em Cultura e Sociedade e o Centro de Estudos Multidisciplinares em Cultura (CULT), desde 2009, passaram a pertencer ao Instituto de Humanidades, Artes e Ciências Professor Milton Santos (IHAC), que congrega os Bacharelados Interdisciplinares em Humanidades, Artes, Ciência e Tecnologia e Saúde. Leandro Colling passou a ser professor do IHAC e, por isso, desde então, o CUS também migrou para o novo instituto. A partir daí, Djalma Thürler também passou a integrar o CUS e a dividir a coordenação junto com Leandro Colling.
De lá para cá, as pessoas do CUS desenvolveram pesquisas importantes e publicaram dezenas de artigos, livros e capítulos de livros, o que acabou gerando ações para além das esferas acadêmicas, como foi o caso da vaga que ocuparam Leandro Colling e Djalma Thürler, entre 2011 e 2012, no Conselho Nacional LGBT, da SNDH do Governo Federal. Leandro Colling ainda assumiu em 2012 vaga no Conselho Estadual de Cultura do Estado da Bahia, no qual permaneceu até agosto de 2013, quando saiu para seu Pós-Doutorado fora do país.

Além disso, o CUS realizou vários eventos, entre os quais destacamos:

Stonewall 40 + o que no Brasil? – realizado nos dias 15, 16 e 17 de setembro de 2010, em nível nacional, reuniu pesquisadores e ativistas do Brasil para pensar as políticas LGBT realizadas nos últimos quarenta anos no Brasil. Participaram do evento cerca de 400 pessoas. O evento gerou a publicação de um livro, com o mesmo título, pela Editora da Universidade Federal da Bahia.

VI Congresso Internacional de Estudos sobre a Diversidade Sexual e de Gênero da ABEH – realizado nos dias 1º, 2 e 3 de agosto de 2012, na UFBA. Além da conferência de abertura de Jack Halberstam e de sete mesas redondas, a programação contou com a apresentação de cerca de 430 trabalhos em sessões de comunicação e mesas coordenadas e 12 trabalhos na mostra artística, além do lançamento de 30 livros. 700 pessoas estiveram inscritas no evento, oriundas de 24 estados brasileiros e de alguns países da América Latina.

Duas edições do Curso de Introdução à política e estudos queer, realizados na Universidade Federal da Bahia, nos meses de janeiro de 2012 e 2013, nos quais participaram cerca de 100 pessoas.

I Seminário de Pesquisa do CUS, realizado 28 a 29 de novembro de 2014, na Biblioteca Central dos Barris, consistiu na apresentação das pesquisas concluídas e em andamento realizadas no interior do grupo. O objetivo foi o de levar as pesquisas para a comunidade e produzir um maior diálogo com a sociedade. Participaram cerca de 200 pessoas.
Ciclo de palestras sobre Subjetividades, Sexualidades e Culturas. As primeiras. quatro palestras, realizadas por pesquisadores reconhecidos pela área no Brasil, foram realizadas no primeiro semestre de 2013. Participaram, a cada palestra, cerca de 80 pessoas.

II Seminário Internacional Desfazendo Gênero, realizado de 4 a 7 de setembro de 2015, na Universidade Federal da Bahia, com o tema Ativismos das dissidências sexuais e de gênero, contou com conferência de Judith Butler e a participação de cerca de 1500 pessoas pesquisadoras e/ou ativistas do Brasil e do exterior. Nos quatro dias ocorreram seis mesas redondas, 71 simpósios temáticos, nos quais foram apresentados 759 trabalhos. Além disso, foram realizados 25 minicursos, 25 oficinas e exibidos 50 pôsteres. Performances, shows, teatro e o lançamento de 39 livros também estavam na programação.

CUS no Maio da Diversidade, realizado em maio de 2016, por ocasião do Dia Mundial de Combate à Homofobia. Foram realizadas seis atividades durante o mês.

Cineclube sexualidades, realizado de 2012 a 2016, a cada 15 dias eram apresentados filmes da temática LGBT seguidos de debates entre os participantes

Abrindo o CUS – atividade de extensão com o propósito de auxiliar quem deseja começar seus estudos na área de diversidade sexual e de gênero. Duas edições realizadas em 2015 e 2016.

Mostra CUS 10 anos – realizada de 18 a 20 de maio de 2017, no Goethe-Institut, contou com a exposição Campo de Batalha, lançamentos de livros, palestras e talk shows, shows de Linn da Quebrada e das drags soteropolitanas. Participaram cerca de 2 mil pessoas.

Curso de Introdução ao Pensamento de Judith Butler, que contou com a participação de aproximadamente 500 pessoas e teve a seguinte programação: 23 de novembro de 2017: Problemas de gênero e a teoria da performatividade de gênero (Leandro Colling); 30 de novembro de 2017: Corpos que importam e as formações do abjeto (Mayana Soares e Matheus Santos); 7 de dezembro de 2017: Vida precária e políticas de enlutamento (Alexandre Nunes); 08 de janeiro de 2018: Corpos aliados e lutas pela democracia (João Manuel de Oliveira e Tiago Sant´Ana); 22 de janeiro de 2018: Caminhos divergentes e a questão palestina (Berenice Bento).

II ENCUS, realizado dias 10 e 11 de maio de 2018, no auditório do PAF 5, campus de Ondina, UFBA.
No final de 2017, em reunião com todas as pessoas integrantes à época, o CUS decidiu criar quatro linhas de pesquisa: Arte, gênero e sexualidade; Estudos trans e travestis, Lesbianidades, interseccionalidades e feminismos; Gênero e sexualidade na educação. Com isso, passou a se constituir em um Núcleo de Pesquisa e Extensão em Cultural, Gênero e Sexualidade (NUCUS). Em maio de 2018, o CUS iniciou os trâmites para institucionalizar a criação do NUCUS. Essa mudança provocou um grande crescimento do grupo. Em 10 de maio de 2018, o CUS tinha 67 integrantes, distribuídos nas quatro linhas.